Axónios Gastos - fibras condutoras ou prolongamentos de neurónios que se encontram já consumidos.

segunda-feira, fevereiro 14, 2005

Teoria da Divina Conspiração


O respeito pela pessoa, pelo ícone, pela santa que ontem deixou a terra mais triste, mas o céu seguramente mais rico, leva a um dia de luto nacional. Nada mais compreensível se atendermos à história da sua vida, da vida dos portugueses e da interacção entre ambos. Então porque gera controvérsia?
Será que a resposta não poderá estar nos segredos que ela mesmo transportou?

Morrendo aos 97 anos, no dia 13 de Fevereiro, teve o honroso desígnio de servir como, a testemunha que viria a perpetuar o milagre de Fátima. Nossa Senhora numa das aparições, a cada dia 13, transmitira desde logo, a necessidade da Irmã Lúcia ficar neste mundo "mais algum tempo", ao contrário do que aconteceu com Francisco e Jacinta.
Ora durante esses anos foi transmitindo os "3 segredos de Fátima".
O primeiro, a visão do Inferno e a consequente necessidade de oração a Nossa Senhora do Rosário.
O segundo, de profundo carácter político mundial, dizia respeito à conversão da Rússia, que à data tinha vivido a revolução bolchevista de 1917, e que se verificaria aquando da Perestroika em 1984, pela mão de Gorbachev.
O terceiro, aquele que me parece vir fundamentar a minha questão inicial, referia-se à perseguição ao Papa e à Igreja Católica. João Paulo II ficou devoto de Nossa Senhora de Fátima após ter sobrevivido ao atentado no Vaticano a 13 de Maio de 1981 e iniciou o lançar do alerta para a perseguição aos valores católicos e a tudo o que a Igreja simboliza. Terá sido essa a razão para a dita "união das Igrejas"?
Ora, será que hoje não vivemos e viveremos a dita perseguição? Será que a resposta à minha pergunta inicial não estará no terceiro segredo de Fátima?
Vejamos. A discussão em torno do aborto, em torno dos valores morais, em torno das uniões de facto e do casamentos homossexuais, em torno dos atentados à família. A própria mensagem de que os fiéis não deverão "abdicar de participar na vida política" (João Paulo II, Christifideles Laici, 42), não será um indício que o processo de perseguição teve ínicio e nos devemos acautelar?
Caso contrário como poderei explicar a polémica em torno de Buttiglione, em torno da concordata, em torno da Homilia do padre Loreno de S.João de Brito? Como classificarei determinados pontos do programa eleitoral do BE (e do seu defensor Barnabé), PCP e PS? Como adjectivar as suas posições permissivas? Como considerar a força crescente da Maçonaria "anti-igreja"?
Terei razão ou será apenas mais uma teoria da conspiração sem nexo? Uma coisa é certa e que deverei dizer para que a leitura deste post seja a correcta e nunca passível de segundas interpretações... sou católico, mas não sou Opus Dei.
|| JMC - João Maria Condeixa, 16:24

20Comentários:

É uma cavala sim senhor. Perguntem ao Bispo Januário.
Anonymous Anónimo, at 11:00 da manhã  
Parabéns pelo post. Só se esqueceu de mostrar que António Guterres interrompeu a campanha pela morte de Amália Rodrigues. Para mim irmã Lúcia significa mais, para eles talvez, convenientemente, assim não seja.
Anonymous Anónimo, at 12:47 da tarde  
Esperemos que V. Exª não nos obrigue a rezar uma Avé Maria antes das RGAs.

Se é católico, reflica bem no posicionamento que a igeja tem, por exemplo, em relação aos métodos contraceptivos, inclusivamente os que previnem a disseminação de doenças sexualmente transmissíveis, e talvez consiga vislumbrar a razão pela qual a esquerda (e não só) "persegue" a Igreja. É que não é a Opus Dei que defende esse arcaísmo mas sim o Vaticano. Não confunda, por favor, discordância com falta de respeito.

Ass: Optimista Céptico
Anonymous Anónimo, at 3:47 da tarde  
Obviamente que a Igreja se tornou num marketing obsessivo nos discursos dos partidos de esquerda. É tradição, tal como é tradição a manifestação contra as propinas.
Ambas as tradições têm um factor em comum, não têm resultados práticos.
Veremos se a disponibilidade financeira e a vontade de “lutar”, de alguns, sofrerá alguma repercussão em redor de determinada inversão de poderes.

Meu caro Optimista Céptico, a Igreja não lhe exige a sua fé, mas tenha a dignidade de respeitar os princípios católicos.
Há uns que têm fé em Karl Marx e outros que têm fé em Deus.

Nuno Santos
Anonymous Anónimo, at 5:57 da manhã  
Primeiro: tanto a critica a alguns valores católicos (note que não todos) como em relação a aumentos insustentáveis das propinas têm razão de ser.

Segundo: a "inversão de poderes" nada tem a ver com estas causas, até porque não é uma inversão assim tão profunda nem altera a "disponibilidade financeira" da maioria dos portugueses.

Terceiro e repito: Não confunda discordância com falta de respeito! Nunca irei impor a minha fé a ninguém, só peço que façam o mesmo!

Ass: Optimista-Céptico
Anonymous Anónimo, at 11:25 da manhã  
Se tivermos em conta toda a história da igreja católica poderemos chegar à conclusão (que tanto vos assusta assumir), que foi a igreja católica a principal perseguidora. Já nem falo da inquisição nem da perseguição ás "bruxas", mas para mim é escandaloso a forma como a igreja tapa os olhos a formas de "fÉ" baseadas em promessas mutilantes, como o dar num sei quantas voltas ao santuário de fátima de joelhos e apanhar tétano ou gangrena no fim...
Se a igreja insiste em condenar o o uso do preservativo, as relações antes do casamento, o casamento ou as relações sexuais dos padres (que em lugar nenhum vem escrito na bíblia e que foi um papa que no séc 12? se lembrou de por essa lei em prática...) então tinha o dever mais que tudo moral, para condenar as formas de sacrifícios que em nada protejem os crentes (é um ritual pagão que em nada favorece a ideia de igreja).
Eu acho que uma coisa é ser católico (acreditar em Deus) e outra é fazer uma adoração à igreja (servir todos os homens que lucram c a fé dos outros...). E que dizer da perseguição que a igreja faz às mulheres... Por que razão é que as mulheres não podem ser "padras" e dar a missa??? Que eu saiba em nenhum lado da biblia se afirma que as mulheres só podem ser freiras...
Isto não será uma forma de perseguição??
Desde quando é perseguição a Deus criticar a Igreja?? São duas coisas perfeitamente dissociáveis... Ou acham que, se Jesus Cristo fosse vivo vestia trajes de oiro e aceitava esmolas de pessoas que às vezes nem têm pouco mais que a roupa que trazem no corpo???
Blogger Ana, at 5:38 da tarde  
Sempre que toco no tema da religião dou azo a uma série de comentários. Comentários aos quais respondo se acima de tudo imperar o respeito. E a Ana parece que assim procedeu e como tal julgo necessário clarificar certas situações...Eu não digo que um católico deve ser cego pela sua fé, eu próprio crítico uma série de procedimentos da Santa Sé, até porque igreja enquanto instituição é dirigida por Homens e como tal passível de ter erros. Mas o que eu aponto neste post são os valores morais que a igreja defende e que esses sim estão a ser perseguidos...A família está a ser posta em causa, o direito à vida também, o casamento homossexual e a adopção por estes devem ser combatidos pois não conferem a estabilidade emocional necessária às crianças, para além de serem contra a própria religião (e esta parte está na bíblia). Os valores de fundo estão realmente a ser sistematicamente criticados e "perseguidos". E pior, o facto de um padre ou um simples católico exprimir a sua opinião liberta em muitas pessoas o sentimento de que estamos a obrigar a algo...não é assim!
A liberdade de um começa quando acaba a de outro...eu não quero impôr a minha religião a ninguém...tem erros e eu reconheço-os, mas não ponham os seus valores em causa, respeitem-nos!
Blogger JMC - João Maria Condeixa, at 8:09 da tarde  
É muito complicado falar da estabilidade emocional das crianças... Será que ao viverem em lares a sua estabilidade emocional é maior do que se forem adoptadas por casais de homossexuais?? Pergunto: será que Jesus Cristo, quando era vivo, teria achado escandaloso o facto de haver homossexuais? Será que se houvesse uma criança abandonada e sujeita a todos os males de viver na rua ou em lares onde as condições não são, por vezes, muito humanas, Jesus cristo iria tremer e impedir que um casal do mesmo sexo a adoptasse e tratásse dela com carinho?? As manifestações homossexuais no reino animal são mais comuns do que se possa pensar, há vários exemplos disso. No meu ponto de vista o problema da adopção das crianças por homossexuais advém do julgamento que a sociedade ainda impõe a estes casais. Isto causa problemas nas crianças devido ao motivo de chacota e maus tratos que elas sofrem qdo mais tarde vão para a escola ou em contacto com a sociedade. E quem é o principal respon~sável por esta situação?? Parece-m óbvia a resposta.
Blogger Ana, at 1:13 da tarde  
Estou-me a sentir ligeiramente responsável pelo tom extremado e azedo dos comentários que se seguiram ao meu. Apenas tentei deixar uma pequena provocação ao Sr. Condeixa pelo qual tenho a maior estima, embora raramente concorde com ele (como devem ter reparado pela frequência dos meus comentários). Depois parto para a questão em si, sem querer extremar posições. Apesar de não concordar com muitas das ideias arcaícas defendidas pelo Vaticano, tenho o maior respeito pelos católicos e fiéis em geral e devo reconhecer que a matriz judaico-cristã tem um peso fundamental em todas as civilizações ocidentais. Agora é natural que esse peso se tenha vindo a perder principalmente por uma razão: a igreja não tem sabido (ou querido) evoluir à mesma velocidade que a sociedade e, em alguns aspectos, mantem-se como na idade média. Há limites para o conservadorismo, querer impor a todos os cidadãos o mesmo código de conduta que impunham nas cruzadas não é aceitável, daí em grande parte o afastamento dos fiéis da Igreja. JMC, lamento que tenha achado que lhe faltei ao respeito ou à sua fé pois não foi essa a minha intenção, apenas tentei fazer humor e deitar algumas achas para a fogueira.
Embora seja de esquerda e tenha fé nos ideais preconizados por Karl Marx, como insinuou o Sr. Nuno Santos, penso que acima de qualquer discussão, por mais acalorada que possa ser, deve imperar o respeito mútuo.

Ass: optimista-ceptico
Anonymous Anónimo, at 2:32 da tarde  
Geneticamente, não é possível que um casal de homossexuais se reproduza naturalmente. Como tal, não existe um fundamento lógico para o respectivo casal “adquirir” um “pseudo-filho”, além de ser uma verdadeira aberração.
Não sei como é possível comparar exemplos de manifestações homossexuais em animais irracionais, com o futuro, dignidade e integração de uma criança numa sociedade.
Para defensores de tal mentalidade, recordo que estão a contrariar a orgânica da vida e a por em causa a evolução do ser humano para um ser vivo racional, onde julgo estarem englobados.

Nuno Santos
Anonymous Anónimo, at 1:57 da manhã  
Não percebo como Nuno Santos primeiro fala em genética para logo em seguida sobrepor os humanos aos restantes animais tendo em conta o factor racional... Sim é verdade que temos uma capacidade racional acima dos outros animais, mas, acima de tudo, somos animais e partilhamos grande parte do património genético de outros animais (por exemplo o nosso genoma é 99% semelhante ao dos chimpanzés - os quais têm práticas homossexuais mesmo depois de terem crias...). A nossa capacidade racional advém tanto do meio onde vivemos e estamos inseridos como dos nossos genes e ambos podem ser influenciados reciprocamente. São os genes que influenciam a nossa racionalidade e os nossos comportamentos. Como tal, ambos os factores não podem ser dissociados. Deste modo é bastante aceitável a comparação entre os comportamentos animais e os humanos. Se não fosse assim muito do saber que a ciência adquiriu até hoje não seria plausível uma vez que foi transposto para humanos a partir de estudos em animais...
Sim, é verdade que os homossexuais geneticamente não podem ter filhos, mas, a grande maioria dos casais heterossexuais que adopta crianças também o faz porque não consegue engravidar (o que também pode derivar de problemas genéticos). Ora segundo a sua lógica de pensamento, a adopção de crianças por parte destes casais também seria uma aberração... O que me parece de todo incorrecto...
Além do mais, se temos uma grande capacidade racional, onde eu me incluo e onde o Nuno se inclui de certeza, acha que é mais correcto as crianças viverem em lares ou na rua ou noutro sitio qualquer que não num lar com todas as condições mesmo que sejam adoptadas por um casal homossexual? Não me parece assim tão escandaloso e assim uma aberração tão grande...
Blogger Ana, at 11:11 da manhã  
É verdade, o nosso genoma é 99% semelhante ao dos chimpanzés, mas não somos chimpanzés (pelo menos eu não o sou, a Ana também não deverá ser!).
O que a ciência adquiriu até hoje não foi transposto para humanos. Foi testado em animais, depois testado em humanos e posteriormente transposto, caso os resultados sejam satisfatórios. Nem todas as experiências em animais se conseguem reflectir nos humanos, não é regra geral como tenciona referir.
Segundo a lógica de pensamento, a adopção de crianças por parte de casais heterossexuais não é, nem nunca será uma aberração, uma vez que as duas premissas essenciais para a evolução do ser humano estão compatibilizadas, o Homem e a Mulher.
No que respeita à adopção, nunca vi um casal de animais irracionais homossexuais a adoptarem uma cria e, que eu saiba, as manifestações homossexuais em irracionais são meramente sexuais, não existe uma relação de afecto entre eles. Portanto, e insisto, não queira comparar o incomparável.
Gostava de salientar que não me interesso pela ética homossexual, interesso-me sim pela vida das crianças, as quais não se podem manifestar nem compreender a homossexualidade, aquando da sua adopção por um casal de homossexuais.
Será que a Ana já perguntou a uma criança se teria interesse em ser adoptada pelo referido casal?
Estará a Ana a fazer confusão entre uma criança e uma cria?

Nuno Santos
Anonymous Anónimo, at 2:08 da tarde  
Não querendo tomar a parte pelo todo, mas inevitavelmente mostrando a minha tristeza pela opção trotskista tomada pelo país, deixo mais uma frase infeliz dos defensores do BE na blogosfera:
“O Papa já bebe sozinho por uma palhinha. Os médicos estão em crer que, a partir de amanhã, poderá começar a gatinhar sem amparo alheio” – Nuno Sousa, in Barnabé
Blogger JMC - João Maria Condeixa, at 9:41 da tarde  
Eu acho que o Nuno Santos tem recalcamentos homossexuaismas não gosta de crianças. acho também que acima de tudo ele detesta algum homem que nao aceitou a sua homossexualidade. Por isso dedicou-se à agricultura.
E acho que os portugueses preferem a palhaça tété à irmã lucia.

Notável borrachola que é dirigente associativo
Anonymous Anónimo, at 10:42 da tarde  
Pergunto ao Nuno Santos se ele já alguma vez visitou um lar de crianças? Eu já tive a oportunidade de contactar com algumas dessas crianças e de poder constatar a quantidade de privações a que elas estão sujeitas apesar dos esforços de muitas instituiçoes em as ultrapassar.
Eu não sei a resposta exacta, mas acredito que se perguntasse a alguma criança se ela prefere viver num lar, onde é privada de afectividade entre muitas outras coisas (já para não falar dos maus tratos em que em algumas tristes ocasiões é sujeita...) ou se preferia viver com um casal homossexual que lhe dê todas as condiçoes para crescer saudável, duvido que essa mesma criança escolhesse a primeira opção...
Podemos questionar-nos sobre a segunda opção na medida em que a personalidade, e, consequentemente os preconceitos, da criança são moldados pela sociedade. E a nossa sociedade ainda é regida pelos ideais de vida católicos (ou melhor, não cristãos, mas da igreja católica) e como tal, se a criança escolhesse a primeira opção poderiamos discutir se esta opção não lhe foi imposta pela sociedade... Eu sou católica, mas acredito que o ser católico é bem mais do que seguir em rebanho as ideias da igreja católica.
Blogger Ana, at 3:35 da tarde  
Ó Ana Cassete, cm é q a criança cresce saudávelmente se ñ sabe a quem tratar por pai e por mãe???????
O rebanho católico pede a Deus pa perdoar esta vara de cassetes pois não sabem o q dizem!!
Anonymous Anónimo, at 4:54 da manhã  
Com que direito dizes que eu não sei o que digo? Acho que ainda vivemos numa sociedade democrática para poder ter a minha opinião... Eu respeito a tua e como tal não me vou pôr para aqui a dizer que não sabes o que dizes só porque a tua opinão é diferente da minha... Além disso sou da opinião que, para haver uma cassete tem de haver duas.... se é que me entendes... Quanto ao faacto da criança não saber a quem há-de chamar pai e chamar mãe podes responder-me a quem ela chama pai e mãe quando mora num lar???
Blogger Ana, at 11:23 da manhã  
Com gente caluniosa e sem pudor eu recuso-me a continuar a expressar a minha opinião.
Queria dizer à Sra. Ana (ou Francisco, ou António, ou Pedro, ou Rui, ou etc.) que não tenho nada em comum com a pessoa anónima que proferiu a afirmação.
Concordo com a liberdade de opinião e democracia, mas não concordo com calúnias anónimas!

Até sempre!

Nuno Santos
Anonymous Anónimo, at 1:54 da tarde  
Caro Condeixa
Os locais de reconhecida qualidade costumam exibir uma regra que diz "reservado o direito de admissão". Se bem que parte dos comentários que aqui vejo são fruto de uma opinião esforçada outra parte trata de opiniões claramente gratuitas. E isto é forma simpática de dizer: pouco pensadas, com muita ignorância e cheias de preconceito. Sou das relações do caro Nuno Santos e custa-me vê-lo ofendido anónimamente mas a minha amizade por ele exige que ele se proteja. E isto quer dizer que o meu amigo Nuno Santos exige claramente um reservado direito de admissão. Pela nossa saúde.
Com estima
Anonymous Anónimo, at 11:04 da tarde  
Quero apenas dizer ao Sr Nuno Santos que compreendo perfeitamente a sua atitude... De facto, acho absolutamente vergonhosa a forma cobarde de alguns individuos usarem o anonimato na calunia de segundos e terceiros. Da minha parte devo dizer que nunca me incluí neste tipo de pessoas e como tal assino sempre com o meu verdadeiro nome...
Ana
Blogger Ana, at 2:26 da tarde  

Add a comment

Site Meter BlogRating