Axónios Gastos - fibras condutoras ou prolongamentos de neurónios que se encontram já consumidos.

domingo, janeiro 07, 2007

Submarinos ou aborto? a propósito de prioridades

Fica aqui a resposta a um comentário de um post anterior, quanto aos deveres (no sentido de estabelecer prioridades) no nosso Estado:
Artigo 273.º(Defesa nacional)
1. É obrigação do Estado assegurar a defesa nacional.
2. A defesa nacional tem por objectivos garantir, no respeito da ordem constitucional, das instituições democráticas e das convenções internacionais, a independência nacional, a integridade do território e a liberdade e a segurança das populações contra qualquer agressão ou ameaça externas. [É assim natural que os submarinos não levantem grande objecção]
Artigo 64.º(Saúde)
1. Todos [não só a mãe] têm direito à protecção da saúde e o dever [incluindo a mãe, o pai, e os médicos] de a defender e promover.
b) Pela criação de condições económicas, sociais, culturais e ambientais que garantam, designadamente, a protecção da infância, da juventude e da velhice, e pela melhoria sistemática das condições de vida e de trabalho(...)
3. Para assegurar o direito à protecção da saúde, incumbe prioritariamente ao Estado:
a) Garantir o acesso de todos os cidadãos, independentemente da sua condição económica, aos cuidados da medicina preventiva, curativa e de reabilitação;
P.S.-Miguel, se articulares os dois artigos percebes o meu ponto de vista. Julgo, mesmo, que as prioridades estão invertidas e que é esse um problema fulcral em toda a discussão. Parece-me adormecer o cidadão através de um mecanismo facilitador, quando a sua responsabilidade devia ser exigir!
|| JMC - João Maria Condeixa, 21:23

2Comentários:

Olha, o manual português para abrir caminho a uma sociedade socialista...
Blogger AA, at 11:25 da tarde  
João,

Depois de ter estado na AEUE e de ver o que se passa todos os dias, digo-te que A Constituição Portuguesa vale o que vale e cada um dá a importância que acha que tem de dar. Digo-te também, e porque estive um ano no exército, que a intenção de rever o conceito de defesa nacional não passou disso mesmo...uma intenção e não uma reforma profunda. Não é por se comprar submarinos ou caças que vais ter o pais melhor protegido...aliás, duvido muito que Portugal se volte a confrontar com uma situação de violenta de guerra...sozinho ou aliado!! Por isso, deves calcular que, da mesma forma que não aceite a construção de 10 estádio de futebol (mas tenha aprovado o Euro 2004) também fique "sentido" (e é sentido e não chateado ou revoltado porque reconheço a importância que PODERÃO vir a ter, não para a defesa do país, mas para o controle da ZEE portuguesa).

Em relação ao capítulo "Saude", tu tens a tua interpretação e eu tenho a minha...o que em questões juridicas é perfeitamente possivel:
1- Todos [não só a mãe] têm direito à protecção da saúde e o dever [incluindo a mãe, o pai, e os médicos] de a defender e promover.

Promover a saude não será assegurar abortos em clinicas devidamente preparadas?

2- Pela criação de condições económicas, sociais, culturais e ambientais que garantam, designadamente, a protecção da infância, da juventude e da velhice, e pela melhoria sistemática das condições de vida e de trabalho(...):

Não permitirá a despenalização do aborto assegurar, precisamente, uma protecção à juventude e infância, assim como a condição de vida?

3- Garantir o acesso de todos os cidadãos, independentemente da sua condição económica, aos cuidados da medicina preventiva, curativa e de reabilitação:

Garantir o acesso a todos os cidadãos!!! (é o argumento mais usado pelo sim, mas é o a que menos dou importância!!)

João, o naturalismo é muito bonito. Mas não nos esqueçamos que o relógio biológico é muito diferente do relógio profissional ou do relógio "lógico" de uma sociedade ocidental: A mulheres podem ser mães aos 12 anos e os rapazes aos 14, começasse a ter um nivel de vida adequado quase aos 30, as creches são caríssimas...mas acho que numa coisa estamos de acordo: o acesso à educação sexual e aos métodos contraceptivos deve ser facilitada ou msmo gratuita. Mas se a educação não o for, teremos muitos problemas. A sociedade da informação só é proveitosa quando associada à educação e tu, tão bem quanto eu, sabes que não somos muito bons nessa matéria...Por isso, acho que deve existir uma "borracha" que possa apagar possiveis erros e não começar a escrever logo a "caneta" porque isso não se apaga e fica para sempre.

Em relação ao post anterior onde escreveste sobre "argumentos injustificadamente obtusos", li no arrastao.weblog.com.pt que uma tal de Margarida Neto disse que " a despenalização do aborto levará à secundarização de intervenções cirúrgicas ao cancro e ao aumento das listas de espera.".

Um abraço e obrigado pela felicitação

Miguel Cachão
Blogger Miguel Cachão, at 3:52 da manhã  

Add a comment

Site Meter BlogRating