Axónios Gastos - fibras condutoras ou prolongamentos de neurónios que se encontram já consumidos.

quinta-feira, julho 12, 2007

Nem sei se eu próprio percebo o post (2)

Como fui mal interpretado, vou esclarecer ao que me referia neste post. Roland Berger identificou 19 "padrões" (as tais gavetas) de consumidor, de maneira a conseguir traçar segmentos de mercado para planear estratégias de marketing. Essas 19 boxes, que sendo relativas ao género de consumo, não deixam de ser também boxes de pensamento, são rígidas com um propósito: definir nichos de mercado onde a empresa/partido/órgão de comunicação social poderá apostar.

O que se passa é que eu não acredito numa rigidez dessas, muito embora compreenda o propósito e a ferramenta útil que se pode tornar. Acredito que o ser humano que hoje habita um nicho de mercado poderá e deverá habitar outro amanhã, se assim o desejar, sem que isso gere espanto! E pode, e aqui é que eu vejo a maior das naturalidades, habitar nichos diferentes em simultâneo (a tal complexidade humana que falava anteriormente). O ambiente não molda só o nosso fenótipo, felizmente cobre outras áreas que vão desde o voto, ao próprio mercado e, no caso concreto de que falo, até preferências de consumo!
Sem me alongar, mas com a promessa de voltar ao assunto, para quem quiser saber mais, deixo aqui um pdf importante com toda a informação sobre as tais gavetas, os nichos, etc...
|| JMC - João Maria Condeixa, 01:06

4Comentários:

Pefeitamente esclarecido. O equívoco foi meu e, só meu. No entanto, poderia dar para outras questões...enfim! Fica aqui o meu "mea culpa".
Abraço
Blogger Frederico Nunes de Carvalho, at 12:38 da tarde  
No meu caso referia-me a acreditar que existe uma diversidade em cada individuo que, tal como dizes, o conduzirá a "habitar nichos diferentes em simultâneo".
Também no que respeita à politica deveria ser assim, na minha modesta opinião. Mas assistimos tantas vezes à imagem da carneirada ou rebanho que segue o pastor de olhos vendados. Como exemplo: "disciplina de voto" imposta pelo partido a um deputado, que deveria estar a representar (defender) os interesses do circulo eleitoral que o elegeu.
Ser de direita, centro ou esquerda não deverá implicar um aceitar cego e irreflectido de todas as opiniões ou decisões dos líderes das forças politicas que no s são próximas.
Mas isto é só uma insignificante opinião.
Blogger Milharinha, at 1:39 da tarde  
Frederico, eu é q também deixei um post passível de criar esses enganos.Abraço
Milharinha,Também acho que na política, ao existirem seguidismos exacerbados, ficamos todos a perder, sobretudo o próprio. E até tenho pena que o próprio eleitorado opte sempre por votar de forma tão fidelizada (aqueles que obviamente não são militantes). Só discordo numa coisa e corro o risco de te estar a interpretar mal: para mim um deputado representa um círculo eleitoral, mas em primeiro lugar está Portugal e é sobre essa prioridade que deve cair o peso da decisão, não ao contrário.
Blogger JMC - João Maria Condeixa, at 6:27 da tarde  
Posso perfeitamente concordar com a prioridade nacional em relação à regional.
Por outro lado, sabemos que uma grande parte dos deputados não tem qualquer conhecimento sobre a região que o elegeu, pelo que o eleitorado também dificilmente se revê nele (então candidato) quando tem que escolher na hora do voto.
Talvez daí o voto fidelizado por "tradição".
Blogger Milharinha, at 1:46 da tarde  

Add a comment

Site Meter BlogRating